Buscar
  • Dr Motta

Como fazer moldagem em Lateralidade



Moldagem é a cópia das arcadas dentárias da cavidade oral. Ela pode ser feita com materiais ou digitalmente. A moldagem digital é a mais recente inovação em conforto e técnica de moldagem e não depende da posição da cabeça do paciente para ser executada, portanto também pode ser realizada em lateralidade da mesma forma sem qualquer restrição. Já a moldagem com materiais depende de alguns fatores para serem executadas perfeitamente.

Como muitos consultórios utilizam os materiais de moldagem para executar esse procedimento, este texto é para exemplificar essa moldagem com o material alginato.

Alginato é um hidrocoloide irreversível e depende de espatulação para sua utilização. Uma massa coloide é aquela que deforma com a compressão. Um dos principais erros na execução do processo é o preparo do alginato estar na proporção (água/pó) errada, deixando a massa de material na forma gelatinóide e não coloide.

Uma dica é utilizar os medidores para garantir a qualidade e padronização do material. Tanto na cadeira odontológica quanto na Cama Odontológica deve-se utilizar o material na consistência correta, evitando o escoamento que causa distorções no resultado.

Outra dica é manter o uso da mesma marca para gerar a experiência necessária e o domínio das dificuldades do processo.

Na prática existem muitos métodos de moldagem, mas uma coisa importante é pensar na técnica e na experiência do paciente. Ao longo dos anos de treinamento, recebi dos dentistas, diversas dicas para melhorar essa experiência e vou compartilhá-las com vocês.

Consistência do material: Como já dissemos a consistência de coloide é importante para evitar que o material escoe mais facilmente para a garganta do paciente.

Movimento palato-incisal da moldeira: Uma forma de evitar o escoamento do material para o palato é o movimento palato-incisal que executamos na moldeira. Quando executado na cadeira odontológica é importante observar que esse movimento será melhor executado quando moldamos o paciente deitado, já que temos visão direta e melhor controle de uma das mãos para execução. Quando fazemos com o paciente sentado, por traz, temos maior dificuldade de executar essa técnica. A moldagem deitada é uma forma prática de executar moldagens no dia a dia, mas depende do domínio do material e da técnica do profissional.

Colocar o paciente deitado: Quando estamos deitados, existe o reflexo tampão de língua, onde o palato mole é estimulado e a língua automaticamente se recolhe para vedar a entrada de qualquer objeto, saliva ou água. Esse é o principal motivo pelo qual temos mais dificuldade para tomar água deitado do que sentado.

Contração abdominal: a ânsia de vomito é uma contração involuntária da musculatura estomacal. Para diminuir essa ânsia, teoricamente podemos pedir para o paciente contrair o abdômen durante o procedimento, e assim evitar o susto dessa contração, o que pode melhorar a experiência dele.

Método da distração: A moldagem concentra a atenção do paciente para a cabeça. Uma forma teórica de evitar essa tensão é pedir para o paciente mexer os pés, a perna ou fazer o movimento da nadadeira.

Anestésicos spray: Há no mercado excelentes anestésicos em spray que pode gerar um conforto melhor para pacientes muito complicados, que tem muita ânsia de vômito.

Já na Cama Odontológica podemos executar a moldagem através da odontologia lateral em vertical descendente, semelhante a moldagem do paciente deitado na cadeira. Veja abaixo um protocolo que possibilita um resultado excelente de moldagem:

Protocolo de moldagem da odontologia lateral (Assista o vídeo em destaque no texto para melhor entendimento)

1. Inicialmente colocamos o travesseiro em máxima altura.

2. Seleção da moldeira: Utilize moldeiras totalmente rígidas de acordo com o tamanho da arcada do paciente. Após a escolha da moldeira, o paciente deve estar deitado de lado e de frente para o dentista no ponto zero. Devem ser feitas verificações em ascendente e descendente vertical conferindo o espaço de 3 a 4mm.

3. Treinamos o movimento com o paciente até o entendimento completo do movimento antes de executarmos o procedimento.

4. Manipulação manual: O importante é ter uma massa homogênea que não escoe. Ao final da manipulação o alginato não pode “cair da cuba”.

5. A moldeira preenchida é introduzida com o paciente em lateralidade. O paciente deve fazer vertical descendente, se deslocando levemente para frente, para só assim realizar a compressão do material. Após a compressão voltamos o paciente em posição zero.

6. Remover a moldeira firmemente de uma só vez. Recortar os excessos do molde. Isso evita a deformação da moldagem nas áreas posteriores, quando apoiada na bancada.

7. Limpar a saliva e muco do molde em água corrente em seguida desinfete com Hipoclorito de Sódio a 1% ou Ac. Peracético. Após alguns minutos, passe novamente o molde em água corrente para iniciar o vazamento do gesso.

Antes do vazamento do gesso, mergulhar o molde em uma solução de sulfato de potássio a 2%, por 5 min (isso melhora MUITO a superfície do modelo), secar com papel toalha e vazar o gesso. Após a presa do gesso (melhor que seja em um umidificador) o modelo deve ser sacado. Não deixe passar mais que 30 min para remover o modelo, isso pode alterar o resultado.


Os principais ganhos desse protocolo são:

1. Compressão do material: Com o paciente em lateralidade olhando para baixo (conforme a foto acima), evita drasticamente a sua sensação de ânsia de vômito.

2. O escoamento do material: O objetivo da odontologia é o excesso na região dos dentes. Na moldagem em lateralidade, o excesso escoa para a frente (observe a foto acima) e não para o fundo da garganta, nessa posição o dentista tem uma qualidade muito melhor da moldagem e o paciente não sente ânsia.

3. Paciente ativo: Ajudar com a contração abdominal durante a compressão e deslocamento da cabeça do paciente.

4. Controle e visão de inserção: Em lateralidade o posicionamento da moldeira durante a inserção na cavidade oral e o movimento palato-incisal são executados de forma a contribuir com o movimento da cabeça do paciente.


Dr. Roberto Motta

CRO: 105109

9 visualizações

Todos os direitos reservados.

 CNPJ: 27.818.760/0001-67

São Paulo-SP  

  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube