Buscar
  • Dr Motta

Série tutorial lateral: VAMOS JUNTOS APRENDER A ACESSAR OS DENTES DO PACIENTE

Esse tutorial responde como inserimos nossos instrumentais para trabalhar na cavidade oral do paciente na Odontologia Lateral da cama odontológica. Caso não tenha lido o "episódio 1" fica a recomendação, lá aprendemos como enxergar, agora vamos aprender como acessar.

Existe um truque muito importante quando falamos em acessar a boca do paciente na cama odontológica. Quando tiver dúvida, faça a seguinte pergunta: "Como faço para acessar essa técnica na cadeira?" Pronto, está respondido, porque na cama odontológica é igual. A cavidade oral é um espaço limitado que permite somente algumas formas de introduzir os instrumentais. Já tínhamos falado e repito, todos os dentistas já sabem atender no método lateral, portanto a forma de acessar é a mesma. Esse texto é como se você já dirigisse e eu só explicasse o que você já faz para chegar da sua casa para o trabalho de carro.

Feito as ressalvas, vamos lá. O dentista tem uma mão de trabalho e outra mão de auxílio. A mão de trabalho tem um instrumento que executa o procedimento, enquanto a auxiliar afasta, suga ou segura o espelho. É igual para escrever, ninguém escreve com as duas mãos ao mesmo tempo, se o fazem são meras curiosidades ou entretenimento.

Importante observar que acessar deve favorecer (e acontece na maioria das vezes), a visão. Para favorecermos a visão temos alguns métodos de como acessar:

- Trabalhar com as mãos em oposição, portanto se acessamos de um lado afastamos pelo outro e vice-versa.


- Forma de empunhadura do instrumental. São quatro formas:


- A posição da cabeça do paciente, como falamos no tutorial 1.


A otimização do trabalho odontológico vem pelo acesso da mão de trabalho, acesso da mão auxiliar, e um espaço para a visão. Para sermos didático vamos compor essas regras como a seta de acesso na cavidade bucal.




Em algumas técnicas cirúrgicas comprometemos nossa visão para colocar força. Essa oposição que causa a maioria dos contorcionismos odontológicos. Um exemplo da exceção da regra da seta é o terceiro molar com alavanca. Como o acesso é muito difícil, optamos por eliminar a mão auxiliar e as vezes até mesmo a visão em detrimento da sensação tátil. Por esse motivo é um dente difícil de tirar. As piores técnicas odontológicas, as que exigem maior habilidade do profissional, são as que o acesso é dificultado e não podemos executar a regra da seta.

















Para o terceiro molar há uma grande vantagem na cama odontológica, já que temos uma angulação limitada da cabeça do paciente na cadeira, a cama ganha a vertical descendente, que facilita o acesso vestibular no segundo e terceiro quadrante. Faremos um tópico específico para isso no futuro, também um tópico específico sobre a auxiliar, mas já podemos falar que a auxiliar acrescenta mãos de auxilio (afasta, suga e segurar, acrescentado a tarefa de pegar instrumentais), ela não executa nenhum procedimento.


Dr. Roberto Motta

CRO: 105109

0 visualização

Todos os direitos reservados.

 CNPJ: 27.818.760/0001-67

São Paulo-SP  

  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube